Notícias de maternidade, dicas e muito mais!

05 coisas que nenhuma grávida pode fazer e poucas sabem

0

A gravidez é um período de muitas mudanças e adaptações. Existem algumas coisas que grávida não pode fazer, mas que poucas pessoas estão cientes. Cuidados com a gravidez são essenciais para a saúde da mãe e do bebê.

Isso inclui alimentação saudável, exercícios físicos adequados, consultas regulares ao médico, evitar substâncias nocivas como álcool e tabaco, e usar medicamentos apenas sob orientação médica. Lembre-se, cada gravidez é única e o que funciona para uma pessoa pode não funcionar para outra.

Portanto, é sempre importante discutir qualquer preocupação com um profissional de saúde.

Este artigo irá destacar 05 coisas  que nenhuma grávida pode fazer

Leia mais: 5 temperos que grávida não pode comer; saiba mais

Free Pregnant Woman photo and picture

Consumir Alimentos Crus ou Mal Cozidos

Alimentos crus ou mal cozidos, como carnes, peixes e ovos, podem conter bactérias nocivas que podem causar infecções graves. Essas infecções podem levar a complicações na gravidez e até mesmo ao parto prematuro.

Portanto, a toxoplasmose é uma infecção causada pelo parasita Toxoplasma gondii, que pode ser encontrado em carnes cruas ou mal cozidas. Se uma mulher grávida contrair toxoplasmose, ela pode transmitir a infecção para o feto, o que pode levar a sérias complicações, como danos cerebrais e problemas de visão.

Da mesma forma, a salmonela é uma bactéria que pode ser encontrada em alimentos crus ou mal cozidos, especialmente ovos e aves. A infecção por salmonela pode causar sintomas como náuseas, vômitos, diarreia, febre e dores abdominais. Embora a salmonela não prejudique diretamente o feto, a doença pode causar desidratação severa na mãe, o que pode levar a complicações na gravidez.

E a listeriose é uma infecção causada pela bactéria Listeria monocytogenes, que pode ser encontrada em alimentos crus e prontos para comer, como carnes frias e queijos macios. A listeriose na gravidez pode levar a parto prematuro, aborto, infecção grave no recém-nascido e até mesmo morte neonatal.

Por isso, é recomendado que as grávidas evitem consumir alimentos crus ou mal cozidos. Sempre cozinhe bem os alimentos e siga as práticas seguras de manipulação de alimentos para minimizar o risco de infecções alimentares. Além disso, sempre consulte um profissional de saúde para obter conselhos personalizados.

Uma mulher grávida não deve Beber Álcool

O álcool pode passar da mãe para o feto através da placenta e pode causar uma série de problemas, incluindo a Síndrome Alcoólica Fetal, que pode resultar em defeitos congênitos e problemas de desenvolvimento.

A Síndrome Alcoólica Fetal (SAF) é uma condição que afeta o desenvolvimento do feto e é causada pela exposição ao álcool durante a gravidez. É um distúrbio prevenível, mas cada vez mais frequente entre as mulheres jovens. A SAF é a forma mais grave de um espectro de transtornos relacionados ao uso do álcool (FASD), que também inclui a síndrome alcoólica fetal parcial, as alterações ao neurodesenvolvimento e as malformações congênitas ligadas ao álcool.

Portanto, o álcool penetra na corrente sanguínea da gestante, atravessa a placenta e alcança o feto pelo cordão umbilical. Como o fígado do feto ainda não está preparado para metabolizar essa substância, seu corpo fica exposto por mais tempo à mesma quantidade de álcool que circula no organismo da mãe. Isso pode causar danos irreversíveis no embrião e no feto durante a gestação da mulher.

É importante ressaltar que a prevenção é a melhor maneira de evitar a SAF. As mulheres que estão tentando engravidar ou que estão grávidas devem evitar o consumo de álcool.

Fumar ou Estar Perto de Fumaça de Cigarro

Fumar durante a gravidez aumenta o risco de várias complicações, incluindo nascimento prematuro, baixo peso ao nascer e problemas respiratórios no bebê. A exposição à fumaça do cigarro também é prejudicial.

As mulheres que fumam têm mais dificuldade em engravidar e têm um risco maior de nunca engravidar. E durante a gravidez pode causar danos aos tecidos do bebê, particularmente nos pulmões e no cérebro. Alguns estudos sugerem uma ligação entre o fumo materno e o lábio leporino.

Contudo, as mães que fumam têm mais probabilidade de dar à luz prematuramente. O parto prematuro é uma das principais causas de morte, deficiência e doença entre os recém-nascidos.

Dados revelas que um em cada cinco bebês nascidos de mães que fumam durante a gravidez tem baixo peso ao nascer.

Todavia, a exposição à fumaça do cigarro também é prejudicial e pode causar ou agravar uma série de problemas de saúde prejudiciais em adultos e crianças, incluindo câncer de pulmão, infecções respiratórias e asma. Não existe um nível seguro de exposição à fumaça do cigarro.

Portanto, é altamente recomendável evitar fumar e a exposição à fumaça do cigarro durante a gravidez para proteger a saúde da mãe e do bebê. Se você ou alguém que você conhece está grávida e lutando para parar de fumar, existem recursos disponíveis que podem ajudar. Por favor, consulte um profissional de saúde para obter orientação e apoio.

Tomar Certos Medicamentos

Portanto, alguns medicamentos, incluindo certos analgésicos, antidepressivos e antibióticos, podem ser prejudiciais durante a gravidez. É importante consultar um médico antes de tomar qualquer medicamento durante a gravidez.

O desenvolvimento do feto durante a gravidez depende do que a mãe fornece. Os nutrientes e oxigênio vindos da corrente sanguínea atravessam uma fina membrana na placenta, levando-os até o cordão umbilical diretamente ao feto. Esse mesmo processo acontece com alguns medicamentos. Entretanto, alguns deles podem ser prejudiciais e influenciar negativamente na gravidez e no desenvolvimento do bebê.

Todavia, os medicamentos ingeridos durante a gravidez podem chegar até o feto ou influenciar o organismo de alguma forma nas funções relacionadas à sua formação. A idade fetal é um ponto importante a ser considerado, pois pode determinar o impacto do medicamento.

Alguns dos medicamentos que não são indicados para uso durante a gestação são: Medicamentos que causam teratogenicidade; Atorvastatina; Flurazepam; Metotrexato; Sinvastatina; Oxitetraciclina; Retinol; Ribavirina; Tetraciclina; Varfarina. É importante lembrar que a automedicação pode ser muito perigosa durante a gravidez. Portanto, é essencial que qualquer medicamento seja tomado sob a orientação de um profissional de saúde.

Exercícios de Alto Impacto

Embora o exercício seja benéfico durante a gravidez, atividades de alto impacto podem ser prejudiciais. É recomendável optar por exercícios de baixo impacto, como caminhada, natação e ioga pré-natal.

Portanto, caminhada é Ideal para mulheres que eram sedentárias antes de engravidar. Deve-se utilizar roupas leves e elásticas e um tênis com bom amortecimento para prevenir lesões. Já a corrida leve é Indicada para quem já praticava exercícios antes de engravidar. Você pode realizar a atividade de bicicleta ergométrica durante todos os nove meses de gravidez. Recomenda-se fazer isso três vezes por semana, por 30 minutos cada sessão, sempre mantendo uma intensidade baixa.

Todavia, o Pilates melhora a respiração, a frequência cardíaca, alonga e fortalece os músculos e é ótimo para a postura. Já a Hidroginástica é indicada até mesmo para mulheres que eram sedentárias antes de engravidar e pode ser realizada durante os 9 meses de gestação.

Você pode realizar exercícios de bicicleta ergométrica durante os dois primeiros trimestres da gravidez. Além disso, você pode fazer alongamentos diariamente até o nascimento do bebê.

Contudo, é fundamental que a mulher seja acompanhada por um médico ginecologista e obstetra. Para iniciar a prática de atividades, a gestante deve consultar o profissional de saúde e, se possível, também um profissional de educação física para prescrição da intensidade e da frequência..

Em suma, a gravidez é um momento de alegria, mas também de cautela. Conhecer as coisas que grávida não pode fazer é essencial para garantir a saúde e o bem-estar da mãe e do bebê. Sempre consulte um profissional de saúde para obter conselhos personalizados.

Leia mais: Mulher grávida pode comer camarão?

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Olá, mamãe! Nós utilizamos cookies para melhorar sua experiência de navegação, nada além disso. Mas você pode rejeitar isso caso deseje. Aceitar Saiba mais

Política de Privacidade e Cookies